Advogado rico X escritório pobre

Por Leonardo Moraes, Administrador de empresas, pós-graduado em marketing e vendas, consultor especialista em gestão de escritórios, estratégia de negócios jurídicos, gestão financeira e marketing jurídico. Experiência e vivência com mais de 09 anos na gestão e consultoria para escritórios de advocacia de diversos portes nas principais capitais brasileiras. Sócio do escritório Leonardo Moraes Empreendedorismo Jurídico https://leonardomoraes.me/


Você conhece algum?

Aquele ditado que se conselho fosse bom não era dado e sim vendido, nunca foi tão relevante.

E pode parecer clichê, mas os números não mentem.

Tanto é que vejo vários escritórios com a conta no vermelho, muitas vezes sem dinheiro para pagar as contas do mês e ter que recorrer a empréstimos de bancos ou dos sócios.

E o grande responsável por essa situação não é a crise, não são os concorrentes, a inflação, a inadimplência etc.

Você dono do escritório é o grande responsável por deixar o seu negócio chegar nessa situação.

E sabe qual é a causa?

Achar que o caixa do escritório é seu, que o dinheiro disponível no fim do mês é lucro e que pode ser distribuído. Não é mesmo?

Só que esqueceram de te avisar que o escritório também é o seu sócio e você precisa fazer um fundo de reserva antes mesmo de distribuir o lucro.

Mas ai vem um outro complicador, a ausência de gestão, até por que como você vai distribuir lucro sem saber de fato se o mês fechou com resultado positivo ou negativo?

Não se assuste, mas 80% dos escritórios não fazem uma gestão profissional para avaliar o resultado financeiro e o que acaba acontecendo na prática é que os sócios caem em uma ilusão de achar que podem rapar o caixa do escritório e ficar com todo o dinheiro.

É o famoso Advogado rico e escritório pobre.

Você troca de carro mas não quer investir em tecnologia, na capacitação e desenvolvimento das pessoas, na estrutura, nos clientes, na velocidade da entrega etc.

Quando te perguntam como estão as coisas, você responde, vão muito bem, o escritório está crescendo, estamos sendo procurados por novos clientes, faturamento aumentou etc.

Mas como assim?  As coisas estão bem se o escritório anda no vermelho? Mera ilusão.

Ai chega o final do ano e vem a surpresa, você não tem dinheiro para pagar o 13° salário, as férias, as contas do início do ano etc.

Todo ano é a mesma coisa e você está tão preso na bolha da má gestão que se acostuma e não busca uma saída para sair da beira do abismo.

Você tem duas escolhas, continuar com esse hábito que está corroendo o seu caixa e cada vez mais levando o seu negócio para o buraco ou fazer diferente e mudar o seu hábito, investir em gestão profissional, reinvestir em seu escritório, manter um caixa saudável e levar uma vida financeira equilibrada, tanto pessoal como profissional.

Faça um exercício agora, olhe para o seu financeiro e avalie os resultados e descubra em qual situação você se encontra. Você pode cair da cadeira de preocupação ou se sentir aliviado por estar fazendo a coisa certa.