Briga das horas – TJ de Alagoas vai definir horário para funcionamento dos fóruns

O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador José de Hollanda Ferreira, terá de dar uma definição para a seccional alagoana da OAB até a próxima terça-feira (13/5) sobre o horário de funcionamento da Justiça estadual.

Hoje, o funcionamento do Tribunal é das 13h às 19h e o projeto de mudança — de 7h30 às 13h30 — desagrada aos advogados. De acordo com eles, o horário que está em vigência favorece os profissionais da advocacia que trabalham nas faculdades particulares ou desenvolvem outras atividades no período da manhã.

Por esse motivo, a OAB de Alagoas entrou na briga para garantir os interesses dos advogados. Os profissionais reivindicam o funcionamento dos fóruns no horário das 11h às 17h, com o setor de Protocolo se estendendo até às 19h. Para o presidente da entidade, Omar Coêlho de Mello, dessa forma o processo atende ao Poder Judiciário e à advocacia. Para formalizar a sugestão da OAB-AL, Omar Coêlho enviou ofício ao presidente do TJ alagoano. Omar aguardará a posição do TJ-AL e espera que o horário seja alterado para o bem dos advogados, magistrados, promotores e estagiários de Direito.

Revista Consultor Jurídico
Briga das horas
TJ de Alagoas vai definir horário para funcionamento dos fóruns
O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador José de Hollanda Ferreira, terá de dar uma definição para a seccional alagoana da OAB até a próxima terça-feira (13/5) sobre o horário de funcionamento da Justiça estadual.

Hoje, o funcionamento do Tribunal é das 13h às 19h e o projeto de mudança — de 7h30 às 13h30 — desagrada aos advogados. De acordo com eles, o horário que está em vigência favorece os profissionais da advocacia que trabalham nas faculdades particulares ou desenvolvem outras atividades no período da manhã.

Por esse motivo, a OAB de Alagoas entrou na briga para garantir os interesses dos advogados. Os profissionais reivindicam o funcionamento dos fóruns no horário das 11h às 17h, com o setor de Protocolo se estendendo até às 19h. Para o presidente da entidade, Omar Coêlho de Mello, dessa forma o processo atende ao Poder Judiciário e à advocacia. Para formalizar a sugestão da OAB-AL, Omar Coêlho enviou ofício ao presidente do TJ alagoano. Omar aguardará a posição do TJ-AL e espera que o horário seja alterado para o bem dos advogados, magistrados, promotores e estagiários de Direito.

Revista Consultor Jurídico